Aspectos que os pais devem vigiar em relação ao uso da tecnologia na infância

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

tecnologia na infância

A tecnologia faz parte da vida, do trabalho e do entretenimento das pessoas. Com as crianças, isso não tem sido diferente. Diante de tantos recursos inseridos no cotidiano, como tablets, celulares, televisões e computadores, é comum ver os pequenos em frente às telas.

Porém, essa é uma questão que gera preocupação — e com razão — por parte de muitos responsáveis. Ao mesmo tempo, apenas 37% dos pais se preocupam com a vida online dos filhos — então, é preciso tomar cuidado para não cair na estatística. Como não é viável e nem saudável eliminar tal contato, o acompanhamento é a melhor saída.

Para conseguir a máxima segurança, descubra o que seria preciso vigiar quanto ao uso da tecnologia na infância.

O tempo de permanência em frente às telas deve receber atenção

Um dos aspectos mais relevantes para se controlar é o período de permanência dos pequenos em contato com a tecnologia. Nos Estados Unidos, por exemplo, eles já passam cerca de 2 horas por dia, em média, em frente às telas digitais.

Ficar muito tempo no celular ou no tablet pode gerar problemas de visão. Além disso, é algo com potencial para causar impactos no rendimento escolar, prejudicar a socialização e até favorecer o sedentarismo.

Em casos graves, há a dependência e o efeito no desenvolvimento de funções básicas. Uma pesquisa realizada pela Fundação Heart of England demonstrou que crianças já não têm destreza para segurar um lápis. Como não desenvolvem os músculos adequados por causa do uso intenso de tecnologia na primeira infância, o rendimento é prejudicado.

É função dos responsáveis acompanhar o tempo de uso das tecnologias e limitar a exposição para evitar níveis prejudiciais. Com o devido controle, é possível equilibrar a utilização de forma saudável.

tecnologia na infância

O consumo de mídia também faz parte dos cuidados quanto à tecnologia na infância

Com dispositivos e sites adaptados para o público infantil, é comum que os responsáveis pensem que as crianças estão seguras quando usam um tablet ou celular. No entanto, até os filtros e as restrições podem ser ineficientes.

Se o pequeno navega nas redes sociais ou até em serviços como o Youtube, estará exposto a conteúdos potencialmente incorretos. O mesmo acontece com diversos apps, como os jogos. Sem o devido acompanhamento, os espectadores mirins podem replicar comportamentos negativos ou desenvolverem um consumo inadequado de mídia. Cerca de 20% das crianças e dos adolescentes já viram imagens ou vídeos desapropriados.

Para que isso não aconteça, ative bloqueios intensos contra certos conteúdos, imagens e textos. Também é preciso ficar sempre atento ao uso da tecnologia na infância. Verifique o histórico, acompanhe o que prende a atenção e ofereça a devida orientação.

O contato com outras pessoas exige máxima atenção

Especialmente em relação às crianças mais velhas, como a partir dos 8 anos, é comum que elas usem recursos que permitem a comunicação com outras pessoas. É o caso de utilizar comunicadores instantâneos para falar com amigos ou familiares. Alguns jogos em tempo real também oferecem a troca de mensagens, mesmo que seja seguro.

O problema é que, muitas vezes, esses ambientes são explorados como porta de entrada para cenários indesejados. Pesquisas demonstram, por exemplo, que os pedófilos usam as redes sociais como primeiro ponto de contato. Além disso, 17% das crianças e adolescentes já falaram com alguém que conheciam apenas de forma virtual.

É preciso estar atento à troca de mensagens e às interações realizadas com o uso da tecnologia na infância. O ideal é que o pequeno não participe de nenhuma rede social — até por uma política de privacidade e de utilização da ferramenta. Mesmo assim, é preciso ficar atento à toda abordagem para evitar riscos desnecessários.

O uso da tecnologia na infância pode ajudar o desenvolvimento e até os estudos. Porém, ela tem que ser usada da maneira adequada e com a supervisão necessária para gerar bons efeitos. Ao dar atenção a esses aspectos, é possível garantir o equilíbrio nesse sentido.

Como você faz esse tipo de controle? Continue acompanhando as novidades em nosso blog.

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×